A primeira sessão de poesia L.U.A. no Zénite

No passado dia 14 de Maio, aconteceu a primeira sessão de poesia L.U.A. no Zénite Bar Galeria, em Lisboa. O evento contou com a presença dos poetas Mariana de Almeida Nogueira, Dênis Rubra e Ana Isabel Pereira. Apresentado por Ana Cláudia Santos, a sessão teve um momento de OPEN MIC e um momento musical, com Manel João Matos na guitarra portuguesa.

O palco no momento antes de o evento começar

A primeira convidada a subir ao palco foi Mariana de Almeida Nogueira. Foi a atuação perfeita para abrir o evento, pois conseguiu quebrar o gelo com o público, entre os seus contextos sobre a criação poética e leitura dos mesmos. A Mariana é licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Depois de seis anos a viver em Itália, entre 2011 e 2017, regressou a Portugal, tirou o mestrado em jornalismo e começou a trabalhar na secção de sociedade da revista VISÃO. Colabora ainda com o caderno cultural da revista Brotéria e escreve poesia diariamente. Acompanhem a sua poesia em @marianaalmeidanogueirapoesia.



O segundo convidado foi o poeta Dênis Rubra. A atuação do Dênis marcou o público de uma forma inesperada e recebeu comentários positivos a noite toda. A repetição de versos criou como um glitch no matrix, no qual todos sentimos na pele o que acontece quando fazemos scroll infinito nas redes sociais. A mensagem foi entregue e sentida por todos. O Dênis Rubra tem os seus estudos na área da Literatura. Foi gerente editorial na editora José Olympio e editor na Edições de Janeiro. Foi assistente editorial na Civilização Brasileira e estagiário de produção editorial na Fundação Biblioteca Nacional. Publicou três livros de poemas – Poetizando a vida, É muito cedo pra pensar e Poema Feed. Sigam-no em @denisrubra.



A noite seguiu com OPEN MIC, no qual, por sorte, temos sempre a oportunidade de experienciar e conhecer novos poetas ou apaixonados pela literatura.



A terceira convidada do evento foi Ana Isabel Pereira. De pés descalços e com a sua aura calorosa, a poesia escolhida para esta atuação foi mística, forte e sensível em simultâneo. A Ana Isabel escreve desde que se lembra. É licenciada em Literatura e acredita que a cultura é um motor para a mudança. Começou a escrever mais na adolescência como um meio de catarse e com o tempo passou a usar a poesia para resgatar a sua cultura e história. Sigam-na pelo instagram @mohini.poesia.



Para fechar o evento, tivemos a atuação de Manel João Matos, que tocou guitarra portuguesa. Ninguém ficou indiferente à essência transmitida pela guitarra, numa combinação de agilidade e brandura. Encontrem o Manel em @maneljoaomatos.


Um grande obrigada a todos os que vieram, ajudaram e atuaram. Fiquem atentos aos nossos próximos eventos e acompanhem-nos em @lua.eventos.poesia.


O evento foi produzido por Ana Cláudia Santos e Diogo Lourenço.